Empresas brasileiras investem mais em segurança da informação

A EY Brasil (antiga Ernst & Young) divulgou essa semana os resultados de sua 16ª Pesquisa Anual Global sobre Segurança Cibernética. Os resultados trazem indicativos da preocupação de empresários brasileiros em relação à segurança de dados. O objetivo da pesquisa é identificar o nível de conscientização das empresas a respeito de ameaças virtuais e entender as ações adotadas para combater os problemas. O levantamento foi feito com mil executivos espalhados por 64 países e os dados divulgados compreendem as impressões e expectativas das empresas brasileiras, mas também aponta informações levantadas globalmente. Para 54,2% dos empresários brasileiros os riscos de ataques cibernéticos aumentaram no ano de 2013. Ao mesmo tempo, 62,2% das empresas declararam que vão ampliar seus investimentos em segurança da informação, enquanto 30,4% dizem que irão manter as estratégias já utilizadas no último ano. O levantamento ainda indica que, no último ano, 90,2% das empresas brasileiras aumentaram ou mantiveram o investimento em segurança de dados. Ainda entre as companhias brasileiras, 33,7% indicaram que o investimento em segurança da informação é estabelecido na faixa de US$ 500 mil até US$ 2 milhões. Dados globais Globalmente, 83% dos participantes da pesquisa acreditam que a área de segurança de suas organizações é ineficaz e, por essa razão, 93% das empresas devem manter ou aumentar os investimentos em projetos de segurança. Além disso, 31% delas acreditam que, dentro de suas corporações, os problemas relacionados à segurança aumentaram ao menos 5% no ano passado. 14% do orçamento empresarial para 2014 destina-se a tecnologias emergentes e inovação em segurança. Os participantes da pesquisa indicaram a maior preocupação com a segurança dos dispositivos utilizados por...

A importância da SSL cadeado de criptográfia

A primeira versão foi desenvolvida pela Netscape em 1994 (sim, já existia internet naquele tempo) e seu funcionamento é bastante simples: o servidor do site que está sendo acessado envia uma chave pública ao navegador de internet, usado por este para enviar uma chamada secreta, criada aleatoriamente. Desta forma, fica estabelecida a troca de dados criptografados entre dois computadores. O protocolo se popularizou pelo uso massivo em sites de comércio eletrônico, tornando-se quase que uma exigência para que os usuários efetuassem compras pela Internet. Com a melhor compreensão de seu funcionamento, houve a adesão para sistemas em geral que são executados na Internet. Até mesmo os servidores de e-mail hoje suportam protocolos seguros e chegam a obrigar a configuração com SSL / TLS em clientes de e-mail (Outlook, Thunderbird, etc.), como é o caso do Gmail. “Todos os sites que efetuam transações online precisam de um certificado SSL e, consequentemente, criptografia de dados” – avisa Sergio Melo, supervisor de operações da netRevenda.com. “O protocolo é reconhecido hoje por 99,3% dos navegadores de internet e garante a segurança tanto do prestador do serviço como de seu usuário: com apenas algumas informações básicas, já conseguimos implementar um nível de segurança que torna-se também um agregador de valor ao negócio.” – completa. A Liquida Net, oferece a solução baseada em domínio próprio (Ex: https://www.meudomínio.com.br) já com IP dedicado incluso por R$ 290,00 anuais como adicional aos serviços de hospedagem de suas lojas virtuais. Quer contratar um certificado SSL para sua loja virtual? Fale...