Como as PMEs estão aumentando a participação no e-commerce

Com tantos players grandes no mercado de e-commerce é difícil competir em termos de credibilidade e relevância. Mas pequenas e médias empresas já tem provado o contrário conquistando bons resultados na web. Isso porque no campo das ferramentas de pesquisa, tanto os grandes como os pequenos, podem ter chances similares de fazer uma boa oferta de produtos e serviços ao seus consumidores. Segundo pesquisa realizada pela Amcham São Paulo junto a empresas de pequeno e médio porte, 92% dessas empresas já investem no mundo virtual como forma de divulgar seus negócios. Ainda segundo a pesquisa as principais vantagens de se inserir no comércio eletrônico é a velocidade de exposição (para 61% dos entrevistados), aumento da capilaridade da atuação (38%) e redução de custos (31%). Para metade dos entrevistados, os recursos destinados à internet já representam mais de 50% do total previsto no plano de comunicação corporativo. Além dessas vantagens, pequenos e médios empresários enxergam a possibilidade de segmentar o público (principalmente em relação à propaganda e produto oferecido) e de mensurar a efetividade dessas ações como estratégias importantes para o seu negócio. De acordo com uma outra pesquisa (encomendada pelo Google) 14% das empresas que ainda não estão na internet já pensam fazê-lo nos próximos meses. Por outro lado, o “Estudo de tendências de uso de internet nas pequenas e médias empresas da América Latina” ressaltou que apenas 18% dos sites de pequenas e médias empresas permite atualmente as transações on-line. Esses dados nos revelam que apesar do interesse e da visão de mercado desses empreendedores eles ainda estão “experimentando” o ambiente virtual e por isso talvez não conheçam...

SEO agora é pré-requisito e não mais um diferencial

Os buscadores são as maiores fontes de acesso aos sites. Também temos a concorrência altíssima, portanto, aparecer nas primeiras posições nas buscas é vital para alavancar e destacar o seu projeto. Mais de 110 bilhões de buscas são feitas mensalmente e pelo menos 80% dos internautas encontram o que precisam nas primeiras páginas do Google. Agora pergunto: como está sendo feita a otimização do seu site? Definindo o que é otimização Também conhecida como SEO – Search Engine Optimization, é um conjunto de técnicas que tem como objetivo melhorar o posicionamento de um site nos buscadores (Google, Ask, Bing, Yahoo, afins). Através de um trabalho de “longo prazo”, o profissional de SEO consegue aumentar a encontrabilidade e o posicionamento de um site nas primeiras páginas do Google (o principal site de busca) para diversos termos relacionados com o serviço, produto ou diferencias da empresa. O site será encontrado por termos relevantes e por internautas potenciais, pessoas que realmente tem a intenção de compra. Como está sendo feita a otimização do seu site? Atualmente o trabalho de SEO está na boca de todos, desde os clientes, internautas, profissionais de marketing digital e principalmente das agências, que se intitulam “Agências SEO” e destacam o serviço como sendo o cargo chefe da empresa. Por ter o melhor custo benefício, ser a principal fonte de tráfego e trazer resultados durante anos sem precisar qualquer investimento adicional, a otimização de um site sem dúvida deve ser destacada e apresentada como um dos principais serviços oferecidos por uma agência digital. Será que eles realmente estão otimizando seu site? É comum ver agências destacando, oferecendo e vendendo essa técnica....

Tendências 2014 para sua Loja Virtual? É prudente arrumar o básico primeiro!

Faça primeiro o mais importante, ou seja, pensar, organizar e executar conforme as prioridades do seu negócio e necessidades dos consumidores. Parece óbvio isso, mas para muitos, não é!  Olhar as tendências para o próximo ano e ficar por dentro do que vem por ai no e-commerce, é muito importante, mas precisa primeiro fazer o básico em sua loja virtual. Não adianta querer chegar na lua, se nem voar você sabe ainda. É isso que eu vejo no mercado: sites ou lojas virtuais querendo ser marketplace, e-commerce querendo fazer e ser multicanal, sites e pequenos negócios querendo oferecer Plataforma para terceiros, enfim, são muitos exemplos de equívocos no Comércio Eletrônico. Sem falar aqueles que promovem e divulgam mais a sua loja, do que efetivamente tem condições e capacidade técnica de atender e entregar. Culpa dos eventos, dos especialistas, dos Portais de notícias que trazem novidades e tendências sobre o tema? Claro que não! Culpa sua, que pensa lá na frente, mas não faz o básico, que olha o do vizinho, sem antes olhar o seu. Ver artigo...